Copacabana

A Praia de Copacabana é localizada entre os morros e oceano, que possui fama mundial e de longa data. O antigo glamour não é o mesmo e Copacabana  divide a atenção com o bairro vizinho: Ipanema. A praia ainda vive da fama conquistada em décadas passadas. E Copacabana é uma das áreas de lazer mais animadas e cosmopolitas da cidade do Rio de Janeiro.

Origem do nome
O bairro recebeu este nome por causa da Igreja Nossa Senhora de Copacabana, que estava localizada onde se encontra o Forte de Copacabana. Acredita-se que ela tenha sido construída no século XVII, porém foi destruída no século XX. A Imagem da Virgem Miraculosa cultuada no povoado de Copacabana, às margens do Lago Titicaca na Bolívia, foi trazida por comerciantes das colônias espanholas e ainda pode ser vista na paróquia da Ressurreição, no Posto 6.

A praia
Até o século XIX, Copacabana tinha apenas uma igreja, algumas casas, cajueiros e velhos barcos. Devido aos morros que circundavam a praia e o acesso por terra era muito difícil. Em 1892 foi aberto o Túnel Velho, ligando Botafogo a Copacabana. Entre 1902 e 1906, o Prefeito Pereira Passo abriu um outro túnel, o atual Túnel Novo com duas seções, mais próximo ao Leme, que hoje é o principal acesso ao bairro. No início do século XX, com a chegada do bonde elétrico e a construção da Avenida Atlântica, o bairro cresceu.


(Praia de Copacabana)

Crescimento Urbano
Copacabana tem crescido verticalmente, mas, infelizmente, a importância dada à beleza arquitetônica deu lugar a construções práticas e enormes. Aos grandes blocos de apartamentos se juntaram barracos nas encostas dos morros próximos, formandos hoje, uma das maiores densidades urbanas do mundo. A Avenida Atlântica, na orla, tem uma mistura variada de hotéis e restaurantes. A Avenida Nossa Senhora de Copacabana é dedicada ao comércio e serviços. Um local tranquilo é o pequeno Bairro Peixoto, na parte interna de Copacabana, próximo ao Túnel Velho, que possui prédio menores e mais baixos.

As atrações de Copacabana

Praia de Copacabana
A extensa e movimentada  Avenida Atlântica, pontilhada de coqueiros e amendoeiras, acompanha os quatro quilômetros de praia. O calçadão de mosaicos ondulados em preto e branco (mosaico em basalto e calcário), foi desenhada pelo paisagista Roberto Burle Marx, interpreta de forma altamente moderna e abstrata o tradicional modelo português.


(Calçadão da Praia de Copacabana)

A praia é marcada por postos salva-vidas desde o número 2, no Leme, até o posto 6, próximo ao Forte de Copacabana. A praia é um espaço onde é possível encontrar todos os tipos de pessoas: aposentados tomando sol, casais de namorados, turistas, adolescentes e crianças. O Posto 3, em frente ao Hotel Copacabana Palace, atrai bastante os turistas e, por isso, deve-se ter mais atenção. Há uma escola de futebol no Posto 4, destinada às crianças e adolescentes. No Posto 5, a praia é geralmente é mais tranquilo. No Posto 6, a estátua de bronze do poeta Carlos Drummond de Andrade está em um banco na calçada da praia. Próximo ao posto 6, encontra-se uma colônia de pescadores com suas redes e barcos, que vende peixe de manhã cedo, quase todos os dias.



(Posto 2 de salva-vidas na Avenida Atlântica no Leme)


(Estátua de bronze do poeta Carlos Drummond de Andrade, no Poste 6)

Réveillon na Praia de Copacabana
Réveillon, a maior festa de Ano Novo da Cidade, só perde para o Carnaval, em tamanho, espetáculo exuberância. O município do Rio de Janeiro organiza festas gratuitas em toda a cidade, sendo a maior na Praia de Copacabana. São esperados até cinco milhões de pessoas que festejam a noite inteira e assistem o nascer do sol sobre o mar.
As principais estrelas da música nacional e internacional participam de shows ao ar livre na areia e um espetáculo pirotécnico deslumbrante que ilumina o céu à meia noite. A maior concentração de pessoas é em frente ao Hotel Copacabana Palace, mas também é possível assistir a queima de fogos ao longo da Avenida Atlântica e nas areias da praia.


(Queima de fogos de artifício no Réveillon na Praia de Copacabana) 

A Rainha do mar 
Na Praia de Copacabana, Iemanjá, a rainha do mar, é honrada em um ritual espiritual. Muitas pessoas fazem oferendas de flores (em especial, rosas brancas), velas, jóias de prata, doces e champanhe em pequenos barcos lançados ao mar. Iemanjá é uma divindade das religiões afro-brasileiras, representada como uma união da Virgem Maria com uma sereia. Um  grande número de cariocas, quase todos vestidos de branco, conforme a tradição, reúnem-se na praia para saudar o Ano Novo.

Elegância e estilo
Algumas fotografias antigas do início da década de 1920, mostram o Hotel Copacabana Palace sozinho no meio do areal. Quando este hotel foi inaugurado em 1923, causou um grande impacto por suas características inovadoras, e, literalmente, criou uma nova tendência: de repente ficou na moda viver uma vida saudável à beira-mar. As pequenas casas de pescadores foram gradualmente substituídas por outras maiores. Estas construções, acompanhavam o estilo Eclético. Mais tarde, começaram a surgir edifícios em estilo Art Déco, sendo alguns deles ainda podem ser encontrados em algumas ruas transversais.

Copacabana Palace - Década de 1923 (Foto: Google Imagem)

Copacabana Palace
Projetada para o industrial Octavio Gingle pelo arquiteto francês Joseph Gire (1872-1933), inspirado em dois hotéis da Riviera Francesa (o Negresco em Nice, e o Carlton em Cannes), o Copacabana Palace é conhcecido como o hotel preferido de Chefes de Estado, artistas e celebridades. O hotel foi construído em 1923 e sua deslumbrante fachada branca é uma imagem imponente para que olha. No interior, o glamour da década de 1920 volta à vida, com mármores, candelabros e um grande salão de dança.
O Copacabana Palace possui alguns restaurantes: Restaurante Hotel Cipriane, Mee, Copacabana Piano Bar, Restaurante Pérgula.

Restaurante Hotel Cipriane: É preciso fazer a reserva na Mesa do Chef com 48 horas de antecedência e só aceita reservas até às 21 horas.
Almoço: segunda a sábado 12:30 às 15h e domingo 13h às 18h.
Jantar: segunda a quinta 19h às 00h e seta e sábado 19h às 1h.

Restaurante Mee: A sommelière de Saque vai guia-lo através de mais vinte cinco variedades de Saque importados do Japão, além de uma carta com dezoito coquetéis criados para captar a essência do restaurante.
Domingo à quarta: 19h às 00h
Quinta à  sábado: 19h à 1h

Copacabana Piano Bar: Com o seu tradicional charme, o Copacabana Piano Bar é o ponto de encontro regado a aperitivos dos ricos e famosos do Rio de Janeiro. Seja para um dink na hora do almoço ou um encontro de amigos à noite, o jazz do pianista residente consagra o clima  de diversão sofisticada.
Segunda à quinta: 12h às 00h.
Sexta e sábado: 12h às 1h.
Domingo: 12 às 18h.

Restaurante Pérgula: O clima casual ao lado da piscina é perfeito para o renomado Brunch de domingo do Pérgula. Tem o almoço aos sábados que atrai os cariocas com os sabores típicos do país, no Buffet Brasileiro, no menu iguarias com feijoada e moqueca.
Café da manhã: Segunda à sexta 6:30h às 10:30h. Sábado, domingo e feriado: 7h às 11h.
Jantar: 19h às 1h.
Buffet Brasileiro: 13h às 16h.
Brunch aos domingos: 13h às 16h.

O Copacabana Palace fica situado na Avenida Atlântica, 1702, Copacabana. Aberto 24 horas.


A fachada do Copacabana Palace na Avenida Atlântica.


Copacabana Palace na parte de trás na Avenida Nossa Senhora de Copacabana.

Forte de Copacabana
O Forte de Copacabana foi concebido ao final do século XIX, para compor o sistema defensivo da cidade do Rio de Janeiro e de seu porto. Sua função principal dentro do sistema era impedir a aproximação de navios inimigos que pudessem ameaçar a entrada da Baía de Guanabara.
O início da construção foi em 1908, durante um momento conjuntural propício para a construção de grandes unidades militares. A chamada "reforma do Exército" começou ainda no final do século XIX, mais precisamente no término do governo de Floriano Peixoto.  
A situação do Exército era, de maneira geral, de estagnação. O reaparelhamento mostrava-se necessário, assim como o adestramento da tropa e a modernização das fortalezas. Duas figuras destacaram-se entre os demais no Exército Brasileiro: os Ministros de Guerra: General João Nepomuceno de Medeiros Mallet e o Marechal Hermes da Fonseca, sendo esse último o responsável pela construção do Forte de Copacabana,
O local escolhido para a construção do Forte foi o chamado de promontório da Igrejinha, local onde existia a Igreja de Nossa Senhora de Copacabana, sendo, portanto ideal para posicionar canhões de longo alcance.
No dia 16 de dezembro de de 1907, o então major Luiz Eugênio Franco Filho, adjunto da Direção de Engenharia, foi designado para dirigir a construção do Forte de Copacabana. No dia 5 de janeiro de 1908, foi lançada a pedra fundamental, estando presentes Affonso Penna e o  Marechal Hermes da Fonseca.
Entre os anos de 1910 e 1911, toda a área tomou os contornos definitivos da construção do forte. A rocha foi reconstruída, permitindo a complete simbiose entre a construção humana e a da natureza.
A Fortificação começou a tomar forma em 1912, com as suas muralhas laterais de doze metros de espessura, com as abóbadas já concluídas, formando o "esqueleto" do forte. Enquanto prosseguia a tarefa da formação da grande estrutura de concreto, outros serviços era executados.
Ainda em 1912, ainda teve início a montagem das cúpulas de 190mm e 305mm. Para isso, foi construído um guindaste elétrico de oitenta toneladas, para facilitar o desembarque de volumes remetidos pela Casa Krupp.
Em 1987, o Forte de Copacabana deixou a sua função bélica, vindo abrigar o Museu Histórico do Exército. A partir daí, teve início uma história de dedicação à cultura. Hoje, o Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana tem como missão principal a preservar, salvaguardar e disseminar a memória histórica do Exército Brasileiro, bem com atuar como espaço cultural, proporcionando cultura e desenvolvimento aos seus visitantes. Assim, os canhões que disparavam artefatos bélicos, hoje se calam para promover civismo e cultura para a sociedade.
O Forte de Copacabana possui exposições permanentes como: Salão Colônia / Império e Salão República.
Salão Colônia: Descobrimento do Brasil, Batalha de Guararapes, Chegada da Corte, Proclamação da República e o outros fatos da história do Brasil.
Salão República: A história do Levante dos 18 do Forte, ocorrido em 1922, no Forte de Copacabana.

O Forte de Copacabana possui dois cafés: Confeitaria Colombo e Café 18 do Forte.
No meu post sobre a Confeitaria Colombo, eu mencionei a filial da Confeitaria Colombo do Forte de Copacabana. O visitante encontra um cenário perfeito para a Praia de Copacabana para tomar o seu café da manhã, almoço, chá da tarde ou lanche. Além dos tradicionais doces, salgados e waffles, o cardápio ainda conta saladas, sanduíches, crepes e massas.
Horário de funcionamento: de terça à domingo e feriado, das 10h às 19:30h.
Canhão do Forte de Copacabana


Forte de Copacabana visto da Praia de Copacabana.

A seguir o link do post sobre a Confeitaria Colombo
https://riodejaneirocitytour.blogspot.com.br/2016/10/confeitaria-colombo.html

O Café 18 do Forte serve café da manhã, almoço e lanches, oferecendo em seu cardápio saladas, omeletes, sanduíches, massas, tortas, doces, entre outras delícias.
Horário de funcionamento: de terça à domingo e feriados, das 10h às 19:30h.

O Forte de Copacabana fica situado no endereço: Praça Coronel Eugênio Franco, número 1 - Posto 6, Copacabana.
Horário de funcionamento: Museu Histórico do Exército, Fortificação e Exposições: de terça à domingo e feriados, das 10h às 18h.
Alameda, Cúpula de Canhões, Cafés e loja: de terça à domingo e feriados, das 10h às 20h.
Fechamento da bilheteria: 19h30.

Valores da bilheteria:
Adulto: R$ 6,00 (seis reais)
Estudantes de rede pública e privada (com carteira de estudante ou boleto/declaração): R$ 3,00
Idoso acima de sessenta anos: R$3,00 (três reais)
Professores das redes municipal, estadual ou federal (com carteira de professor) R$3,00 (três reais).
Militares das Forças Armadas e dependentes, maiores de oitenta anos, grupos agendados e menores de dez anos - Isento.

Observações:
Forma de pagamento: dinheiro.
Não há estacionamento.
Não é permitido fotografar ou filmar no interior do Museu, da Fortificação e do Salão de Exposição Temporária, sem autorização prévia do MHEx/FC.

A Bossa Nova e o Beco das Garrafas
O surgimento da Bossa Nova aconteceu numa pequena rua em Copacabana, que se tornou popularmente chamado Beco das Garrafas. No local havia algumas boates e night-club.

As Pequenas Boates e Night-Clubs 
Na Rua Duviver entre os números 21 e 37 em Copacabana, à poucos metros da praia, existe um beco onde se encontravam algumas pequenas boates e night-clubs.
No final dos anos 50 e até meados do anos 60 do século XX, o local fervilhava durante as noites pioneiras da Bossa Nova. 
No local existiam três boates, Little Club, Bacará e Bottle's, chamados popularmente de "fumaceiros" por serem locais pequenos e fechados, onde a fumaça dos cigarros se propagavam por todo ambiente.

Shows e Surgimento da Bossa Nova
No final dos anos da década de 1950 os proprietários dos night-clubs do "beco das garrafas" passaram a apresentar shows de músicos ligados a Bossa Nova, movimento e estilo musical emergente. A grande maioria dos músicos estavam em início de carreira e depois se tornariam muitos famosos.
O local se tornou muito movimentado e foi lá também que a dupla de produtores Mielle e Ronaldo Boscoli se projetaram e ficaram conhecidos com seus "pocket-shows" ou pequenas produções onde eram responsável por tudo, desde a direção à iluminação e o som. 
A Bossa Nova logo ganhou fama e passou  inclusive a ser artigo de exportação juntamente com alguns de seus músico. Enquanto a Bossa Nova como movimento musical crescia e ascendia a fama e o brilho, o beco das garrafas em meados da década de 1960 perdia a evidência e o brilho que tinha nos primórdios do movimento.

O motivo do nome do Beco das Garrafas
O apelido de "beco das garrafas" dado ao local vem de um fato muito interessante.
Com a fama do beco das garrafas, o local atraía a movimentação de automóveis e táxis durante à noite e também de conversas de rua. O bate papo e as gargalhadas se propagavam na rua durante o intervalo entre os shows ou na saída dos mesmos. Para quem assistia os shows tudo era euforia ao ver o sol nascer e presenciar a explosão de um movimento musical vigoroso e criativo, regado e entremeado a doses de bebidas que certamente deixava muita gente eufórica e alegre.
Mas para alguns não era festa. Existiam moradores de alguns prédios vizinhos que na ansia de dormir e ter um sono tranquilo não se conformavam com o barulho das madrugadas. Em decorrência deste choque de adensamento urbano entremeado à busca e necessidade de diversão, alguns moradores com insônia decidiram atirar algumas garrafas do alto de seus apartamentos como uma forma não muito sutil de sinalizarem o seu descontamento.
Assim da mesma forma de que as boates lançaram músicos de sucesso, os irritados moradores lançaram também suas garrafas para a posteridade.
Logo o fato ganhou os jornais, e as ameaçadores garrafas viraram notícia, e por bem ou por mal também ficaram conhecidas.
À partir deste fato o beco ficou conhecido como "Beco das Garrafas". Na verdade, este rótulo ou apelido teria vindo do jornalista e cronista Sérgio Porto por ter se referido o beco como "Beco das Garrafadas". O jornalista Sérgio Porto foi um cronista muito popular no Rio de Janeiro, e utilizava também o pseudônimos Stanislaw Ponte Preta.

Winsdsor Atlantica Hotel
Localizado na Avenida Atlântica, em frente ao mar de Copacabana, este hotel de cinco estrelas de trinta e nove andares, fica perto de dois shopping centers e tem fácil acesso aos principais pontos turísticos e aos dois aeroportos do Rio de Janeiro.
Na entrada principal, uma imponente mandala feita com mármore de cinco países diferentes convida a conhecer um ambiente contemporâneo e luxoso. Tapetes persas, lustres em puro cristal italiano e mármores da Itália, Índia, Turquia,  Portugal e Grécia completam a decoração do hotel.
O hotel conta com 545 apartamentos decorados com muito bom gosto, proporcionando conforto e requinte para o momento de descanso. Para clientes que buscam exclusividade alto padrão, o Windsor Atlantica Hotel desenvolveu o Windsor Club, um produto vip que visa proporcionar atendimento altamente personalizado.
A gastronomia é garantida pela excelência culinária dos hotéis Windsor aplicam em seus restaurantes. O Restaurante The View, no quarto andar, oferece vista panorâmica das praias do Leme e Copacabana. O Ristorante Alloro, no lobby, se dedica a alta gastronomia italiana e foi eleito em 2012 e 2013 "O Melhor Restaurante Italiano do Rio de Janeiro", pela revista Veja Rio e pela revista Época em 2013. Em 2015, o Ristorante Alloro foi eleito o "O Melhor Restaurante Italiano da Zona Sul, conquistando o prêmio "Água na Boca" do jornal O Globo.
Para cuidar do corpo e da mente, o Windsor Atlantica ainda dispõe de um Spa sofisticado, com 600 m2 de puro bem estar.
O Windsor Atlantica adota práticas de gerenciamento sustentável e é o primeiro cinco estrelas no Brasil a receber o selo Travelife OURO em sustentabilidade.
O Windsor Atlantica Hotel fica situado na Avenida Atlântica, 1020, Copacabana.


Avenida Atlântica com o Windsor Atlantica Hotel ao fundo.


Fachada do Windsor Atlantica Hotel na Avenida Princesa Isabel, Copacabana.

Espero que tenham gostado do bairro mais famosos do Rio de Janeiro e do mundo. Até o próximo post!!!

Facebook: https://www.facebook.com/riodejaneirocitytour/
Instagram: https://www.instagram.com/riodejaneirocitytour/
Fonte: Guia Verde Michelin - Rio de Janeiro.
 http://www.fortedecopacabana.com
http://www.belmond.com/pt-br/copacabana-palace-rio-de-janeiro/rio_restaurants
http://windsorhoteis.com/hotel/windsor-atlantica/hoteis-em-copacabana/

Comentários

Posts mais acessados